Somos atribulados por todos os lados – Padre Reginaldo Manzotti

No programa de rádio Experiência de Deus estamos fazendo a leitura orante da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios. E nesta semana no Apóstolo dos Gentios nos presenteou com uma lição de perseverança. No capítulo quatro, ele diz assim: “Somos atribulados por todos os lados, mas não desanimamos; somos postos em extrema dificuldade, mas não somos vencidos por nenhum obstáculo; somos perseguidos, mas não abandonados; prostrados por terra, mas não aniquilados” (2Cor 4, 8s).

Quem de nós nunca passou por uma tribulação, por uma extrema dificuldade? São Paulo afirma que podemos sofrer, mas não devemos desanimar. Não somos vencidos e, principalmente, não somos abandonados, porque Deus está conosco e Ele é a nossa rocha firme! Quando estiver com o coração ferido, angustiado, lembre-se que podemos estar prostrados por terra, mas não derrotados.

Deus abençoe você e sua família.

Padre Reginaldo Manzotti

Dia de Finados – Padre Reginaldo Manzotti

 

Filhos e filhas,

Nesta sexta-feira, 2 de novembro, Dia de Finados, celebramos a festa cristã que recorda  todos aqueles que faleceram. Ela é chamada também de festa da esperança. Isso, porque, nós, católicos, acreditamos na ressurreição e temos a certeza de que Jesus prepara um lugar para todos na eternidade, como nos diz São João: “Existem muitas moradas na casa de meu Pai. Se não fosse assim, eu lhes teria dito, porque vou preparar um lugar para vocês” (Jo 14,2).

E é sob essa perspectiva, da ressurreição, que devemos encarar a morte. Ao lembrarmo-nos dos familiares e amigos que já faleceram, devemos sempre fazer aquela belíssima oração: “Dai-lhes Senhor o descanso eterno, e que a Luz Perpétua os ilumine“.

Nossos entes queridos falecidos estão na Luz Perpétua e essa verdade nos consola. O que muitas vezes nos faz sofrer é a perda, é o não conviver mais com aquela pessoa querida. E é justamente sobre este esse assunto que eu dediquei o último capítulo do meu primeiro livro de orientação “10 Respostas que vão mudar sua vida”, intitulado: “Como encarar a morte e superar a dor do luto?”. Foram muitos os testemunhos que já ouvi de perdas superadas. E é possível superar a perda, porque em Deus tudo é possível!

Termino o boletim de hoje pedindo que participem desta festa da esperança em profunda oração pelos seus entes queridos falecidos.

Deus abençoe você e sua família!

Padre Reginaldo Manzotti

Dons de orar e falar em línguas!

Filhos e filhas,

“Existem dons diferentes, mas o Espírito é o mesmo”. (1Cor 12,4). 

No capítulo doze da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios, o Apóstolo cita alguns dons e afirma que todos devem manifestá-los para a utilidade de todos (cf 1Cor 12,7). Então, não devemos tentar impedir a ação do Espírito Santo em nós, muito pelo contrário, devemos deixá-lo agir.

E sob a ação da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, podemos rezar e falar em línguas. Muitos me questionam sobre esses dons, por isso, aqui faço uma pequena explanação, mas antes ressalto que em nenhum momento, durante o dom de línguas, perde-se a consciência.

Orar em línguas – através desse dom “palavras incompreensíveis que não são minhas, palavras escolhidas e formuladas pelo Espírito Santo, dão a Jesus o louvor que Ele merece, e do qual eu mesmo sou incapaz” (cf 1Cor 14, 9). Nesse dom é o próprio Espírito Santo que reza em nós.

Falar em línguas – esse dom, uma mensagem de Deus é proclamada em uma linguagem desconhecida para uma assembleia determinada. Quando ele se manifesta, necessariamente, um membro do grupo recebe o dom da interpretação de línguas e traduz a mensagem a todos. Por isso, só é manifestado em grupos.

Que sejamos mais dóceis à ação do Espírito Santo.

Deus abençoe você e sua família.

Padre Reginaldo Manzotti