Jovem, reconheça a queda e levante a cabeça!

Quero lhe falar de uma história real… Trata-se da vida de um jovem que aos 25 anos de idade não tinha mais nenhuma perspectiva, não conseguia ver esperança, era só um vazio existencial.

Os dias iam passando e o desespero aumentava no coração por não avistar uma saída. A entrada para o mercado de trabalho lhe parecia muito difícil, sem faculdade e sem currículo, quem o contrataria e quanto ganharia? Pois quem ganha bem é quem tem um excelente currículo e uma boa formação acadêmica. Casar-se e formar família também era complexo, já que não conseguia dirigir a sua própria vida, então não conseguia mirar uma vida de fidelidade a uma única mulher, outro ponto se tornava mais distante ainda: ter filhos e dar-lhes educação moral e cristã.

Situações que resultavam numa conclusão: sem perspectiva profissional e sem perspectiva de ser bom esposo e bom pai. Além desses fatos, tinha jogado fora todas as oportunidades que estiveram em suas mãos, uma delas a carreira profissional de futebol de salão. O mais complicado para este jovem era achar que não tinha mais jeito de dar a volta por cima, não existia esperança em sair  do caos.

Não sei a sua idade, nem o que são as suas perdas. Só sei de uma coisa, em meio a uma situação de desesperança, é hora de tomar cuidado para não perder estes dois valores: a alegria e a esperança.

A letra da música diz: “reconhece a queda e não desanima, levanta sacode a poeira e da à volta por cima”. Jovem, é preciso reconhecer a queda, reconhecer a perda, reconhecer-se pequeno e não desanimar.

Consciente que para levantar e dar à volta por cima é preciso o auxílio de cima, do alto, do céu. Levante a cabeça, acredite, é possível começar um tempo novo! Levantar-se sem Deus é arriscado e levantar-se Com Deus é humildade.

A alegria do coração é a vida da pessoa, tesouro inesgotável de santidade, a alegria da pessoa prolonga-lhe a vida. Tem compreensão contigo mesmo e consola teu coração; afugenta para longe de ti a tristeza. A tristeza matou a muitos e não traz proveito algum.” (Eclo 30,23-25). Essa passagem bíblica nos apresenta um valor que deve ser cultivado, a alegria. Jovem, não deixe que nenhuma perda lhe roube a alegria. Somente essa perda deve nos questionar: “sem mim nada podeis fazer”, viver a vida sem Jesus, isso sim é perder a esperança de dias melhores.

Jesus é o seu amigo e está junto de você nestes momentos tão difíceis. Jesus é o único que não pode se fazer presente na sua lista de perdas. Eu vos chamo amigos” (Jo 15, 15).

O lindo desafio para este dia é virar a folha e começar a escrever um tempo novo. Coloque no inicio dessa folha “Jesus é meu amigo” e isso me basta para dar a volta por cima.

Este jovem hoje tem 43 anos de idade, casado há 15 anos e tem três filhos. Este jovem sou eu! Hoje sou “semeador de alegria e esperança” e aprendiz em descobrir valores em meio às perdas.  e nunca  me canso de repetir:  ”Com Deus Tem Jeito!

Cleto Coelho

Missionário Canção Nova

Blog: http://blog.cancaonova.com/temjeito/

 

O Segredo de Francisco: O Irmão Sempre-Alegre

Francisco era chamado por seus frades de “Irmão sempre-alegre”. Apesar da imitação radical da vida pobre de Cristo, o santo não tinha nada de sombrio. Repreendia os irmãos quando demonstravam melancolia, e costumava dizer: 

“O maior triunfo do demônio é poder roubar a um servo de Deus  a alegria espiritual”.

Em Francisco vivia uma alegria sem par. Ele era a alegria personificada, gostava de rir e brincar, gostava de cantar as canções de Provença, e possuía um humor divino que dominava com superioridade todas as situações da vida. Não perdia a coragem em situação alguma. Nada lhe era mais alheio do que o pessimismo e a resignação. A alegria, a alegria jubilosa, triunfava sempre. E se houve um homem, nesta terra coberta de crista dura, que realmente compreendeu o que os anjos cantaram nos campos de Belém “Anunciamos uma grande alegria, que é para todo o povo”, foi São Francisco. A alegria penetrava todas as fibras do seu ser. É quase impossível descrever a alegrai irradiante que ele emanava, e como arrebatava os homens, quisessem ou não.

“Que são os servos de Deus senão os seus trovadores, que tocam os corações dos homens e os enchem de alegria do espírito?”, disse textualmente São Francisco.

 

Trecho do livro “São Francisco de Assis – O Santo da Humildade” – Coleção Mensagens Espirituais.